Histórico

O Programa de Pós-Graduação em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais começou a ser idealizado em 1983, quando, com o apoio da Itaipu Binacional, um grupo de pesquisadores do Departamento de Biologia da Universidade Estadual de Maringá passou a desenvolver estudos ictiológicos no reservatório de Itaipu.
Em 1986, esses professores constituíram o Nupélia - Núcleo de Pesquisas em Limnologia, Ictiologia e Aqüicultura, que tinha entre seus objetivos a coordenação e apoio aos estudos de ecologia de águas interiores no âmbito da Universidade.
Como o Nupélia desenvolvia suas atividades com enfoque principal nas comunidades bióticas de água doce, sentiu-se a necessidade de agregar ao grupo pesquisadores com uma visão mais específica sobre os componentes físicos e químicos do ambiente. Assim, os pesquisadores do GEMA – (Grupo de Estudos Multidisciplinares do Ambiente) foram convidados para associar-se aos do Nupélia, tendo em mente a criação de um curso de pós-graduação com o objetivo de formar recursos humanos de alto nível na área da Ecologia.
Esperava-se que esse material humano tivesse condições de atuar dentro de uma visão sistêmica no estudo dos ecossistemas aquáticos continentais e seus entôrnos, visando a compreensão da sua estrutura e funcionamento, fornecendo subsídios indispensáveis para a tomada de medidas que propiciassem seu manejo racional, garantindo sua integridade e equilíbrio, e visando a melhoria da qualidade de vida das populações que ocupam essas áreas.
Assim, nasceu o Programa de Pós-Graduação em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais da Universidade Estadual de Maringá.
O programa de mestrado teve início em setembro de 1991, com apoio do PADCT/CIAMB-CAPES-CNPq, o que garantiu o financiamento da implantação do Curso e o desenvolvimento de um projeto de pesquisa abrangente, associado. O mestrado foi recomendado pelo GTC/CAPES em março de 1992, passando, a partir dessa data, a contar com bolsas de estudo fornecidas pela CAPES e CNPq.
O programa de doutorado foi implantado em agosto de 1992 e foi recomendado pelo GTC/CAPES em junho de 1995. Da mesma forma que o mestrado, é apoiado pela CAPES e CNPq.
A localização geográfica da Universidade Estadual de Maringá, no noroeste do Paraná, permite acesso fácil ao único trecho livre do alto rio Paraná e à reservatórios, pertencentes a bacia desse rio, fator que coloca laboratório natural à disposição dos pós-graduandos, para a realização de atividades de pesquisa a serem desenvolvidas, paralelamente às de ensino